Prescrição de exercício físico chega aos centros de saúde, em 2018

Posted by joana
Segundo o Obervatório Nacional de Atividade Física e do Desporto, Portugal é dos países da Europa que menos pratica exercício físico e esses números refletem-se no aumento das doenças crónicas que existem atualmente. É no norte da Europa que se vê um maior número de praticantes de atividade física, em países como a Holanda e a Dinamarca onde a bicicleta faz parte do dia a dia das pessoas.
 
Mas, trazemos ótimas notícias. Em 2018, diz a notícia publicada, alguns dos centros de saúde do país, vão passar a ter consultas onde vai ser prescrito exercício como terapêutica em utentes com doenças como obesidade, diabetes, cancro e outras. 
 
Segundo a a notícia a ideia está a ser estudada e segundo a Direção Geral de Saúde (DGS) vem no seguimento do plano de ação que visa a promoção da pratica de atividade física, uma vez que mais de dois terços dos portugueses pratica pouco ou nenhum exercício físico. Não só vai ser feito uma avaliação do grau de atividade física do utente como vão ser prescritos, em conjunto com especialistas da área do desporto, quais os exercícios mais adequados em cada caso.
A recomendação da OMS para adultos, incluindo os idosos, é de pelo menos, 150 minutos de atividade física aeróbica de intensidade moderada em cada semana. 
 
Sabe-se que a atividade física é uma das mais básicas funções humanas e é uma base importante da saúde ao longo da vida. Tem um papel essencial na prevenção de doenças mas os benefícios não só são ao  nível de saúde. Também tem um efeito positivo no bem-estar geral, alivia o stress e contribui para o atraso do envelhecimento. É essencial para o bem estar físico e mental do ser humano e deve ser levado a sério e ser considerado parte da rotina. 
Notícia completa.
 
Joana R. Lewis
Nutricionista Estagiária
Membro Estagiária da Ordem 2036NE
 
Referências:
Observatório  Nacional de Actividade Física e do Desporto. Instituto Português do Desporto. (http://observatorio.idesporto.pt/, acedido a 24/09/2017);
OMS – Organização Mundial de Saúde (http://www.who.int/eportuguese/countries/prt/pt/, acedido a 24/09/2017).